1940 - 1949

1940- 1949

Os primeiros associados

Proposta Associativa do SINDHOSP, na década de 1940, expondo os serviços oferecidos e as vantagens de ser um associado

O sócio número 1 do Sindicato foi a Casa de Saúde Santa Rita, cuja proposta associativa data de 3 de setembro de 1940, a mesma de associação do Hospital de Caridade do Braz (atual Hospital Santa Virgínia) e do Hospital Santa Catarina. A Maternidade de São Paulo associou-se em 6 de setembro daquele ano.

Os primeiros registros da sede do SINDHOSP à Rua Barão de Itapetininga, número 88, primeiro andar, datam do ano de 1943, conforme se pode notar pelo livro de presença do Conselho Fiscal da entidade.

No mesmo livro, nota-se que no ano de 1942 as reuniões do SINDHOSP ocorriam em endereços diversos, como no Hospital de Caridade do Brás e Hospital Santa Catarina, o que levanta a hipótese de que da sua fundação na Rua José Bonifácio, 282, até sua instalação no primeiro andar da rua Barão de Itapetininga, 88, as reuniões teriam sido rotativas.

À rua Barão de Itapetininga, 88, primeiro andar, funcionava o escritório de Rubens Maragliano (1901-1971), importante advogado trabalhista da época que oferecia assistência jurídica aos primeiros associados do Sindicato, assim como o espaço de seu escritório para a realização das Assembleias.

Durante as primeiras décadas de sua atuação o Sindicato contou com uma estrutura provisória de funcionamento, dividindo espaço com outros sindicatos patronais também ligados à Federação do Comércio e assessorados por Ruben Maragliano.

Rubens Maragliano nasceu em 1901, em São Paulo. Formou-se contabilista e advogado, pela Faculdade de Direito da Universidade no Brasil, no extinto estado da Guanabara.  Foi um dos responsáveis pela Consolidação das Leis Trabalhistas e atuou como diretor da Revista do Comércio, publicação da Associação Comercial dos Varejistas de São Paulo, em 1932, onde era secretário-geral, ocupando esse cargo por três anos. Em 1935, criou a Organização Sindical Paulista, dedicando-se a elaboração da Lei Sindical de 1937. Foi superintendente do Instituto de Aposentadoria e Pensões dos Comerciários de São Paulo em 1938 e vice-presidente da Assessoria Jurídica da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo.

O livro de atas gerais do SINDHOSP é uma importante fonte para o entendimento do funcionamento do Sindicato ao longo dos seus oitenta anos  – as reuniões ordinárias e extraordinárias ocorriam sempre com a presença de diretores de hospitais e clínicas de São Paulo, que procuravam os melhores entendimentos para o relacionamento com o entidade representativa laboral da categoria  – o Sindicato dos Enfermeiros e Empregados em Hospitais e Casas de Saúde do Estado de São Paulo.

Os primeiros funcionários do SINDHOSP, conforme observa-se em ata de 28 de fevereiro de 1945, foram indicados pelo próprio Maragliano – o senhor Antônio Vieira e a senhora Lázara de Campos Veiga, contratados para executar tarefas administrativas relativas ao cotidiano sindical.

Livro de atas gerais, de 1945 a 1965

Ata de reunião, de 28 de fevereiro de 1945

Livro de presença de reunião do SINDHOSP, no Hospital São José do Braz

Relato de participação de Jair Ribeiro da Silva
na II Conferência das classes produtoras de Araxa, 1949

No mesmo livro, nota-se que no ano de 1942 as reuniões do SINDHOSP ocorriam em endereços diversos, como no Hospital de Caridade do Brás e Hospital Santa Catarina, o que levanta a hipótese de que da sua fundação na Rua José Bonifácio, 282, até sua instalação no primeiro andar da rua Barão de Itapetininga, 88, as reuniões teriam sido rotativas.

Em 1949, Jair Ribeiro da Silva representou os interesses da categoria na II Conferência das Classes Produtoras em Araxá, importante conclave do patronato brasileiro que pretendia congregar os esforços e o diálogo entre os setores produtivos no país. No Congresso de Araxá, como ficou conhecido o evento, o presidente do SINDHOSP apresentou a tese “Da assistência hospitalar”, aceita com unanimidade pelos membros da Conferência

 

O presidente comunicou à casa o seu comparecimento a essa conferência, representando a categoria econômica constituída por este sindicato, e a tese que ofereceu relativa ao trabalho das mulheres nos hospitais, tese essa que mereceu aprovação unânime da mesma Conferência. Foi lido o trabalho do presidente, que mereceu plena aprovação dos presentes e que fica fazendo parte do arquivo do Sindicato. Nada mais havendo a tratar, foi lavrada esta ata, que vai assinada pelo presidente e secretário.

Em tempo:

Na tese apresentada pelo presidente do Sindicato em Araxá, sob o título de “Da assistência hospitalar”, constam outros assuntos de alto interesse para a categoria econômica que este sindicato representa, no campo da assistência social, no setor de isenções tributárias e no fomento às escolas de enfermagem – nada mais. (Ata de 17 de agosto de 1949 fl. 32. Acervo: SINDHOSP)

 

A menção ao arquivamento da tese de Ribeiro da Silva no “arquivo do Sindicato” indica o horizonte de expectativas que a instituição possuía naqueles primeiros anos de existência, já preocupada com a preservação dos documentos produzidos por seus integrantes.

É destacado o posicionamento de Ribeiro da Silva sobre a regulamentação do ensino de enfermagem, sendo favorável à aprovação do Projeto de Lei nº 775, de 6 agosto daquele ano, que dispunha sobre a formação do enfermeiro e do auxiliar de enfermagem no país (Ata de Reunião do dia 28.11.1949, fl.32. Acervo SINDHOSP).

Cartaz da II Conferência das classes produtoras de Araxa, 1949

Ficha de associação número 1, da Casa de Saúde Santa Rita

Livro de registro de sócios

*Crédito das imagens: Acervo SINDHOSP

Redes Sociais

      

      

Informações e local

ENDEREÇO
Rua 24 de Maio, 208 - 9º e 13º andares
República - São Paulo - SP