“Parecerá, à primeira vista, a quem não observar com acurada atenção e necessário critério, que as medidas de extremo rigor tomadas pelo governo e autoridades sanitárias, em relação aos vapores supramencionados, foram atos de desumanidade, de verdadeiro vandalismo, contrários aos princípios de fraternidade e atentatórios dos direitos das gentes; mas quem tiver uma vez visitado um desses paquetes com imigrantes, sobretudo os italianos, perfeitos ‘necrotérios ambulantes’ em épocas epidêmicas, concordará que outro não podia ser o proceder das autoridades incumbidas de velar a saúde pública.” (Relatório da Inspetoria Geral de Saúde dos Portos, apresentado pelo Diretor Geral, José de Souza Silveira In: Relatório apresentado ao Presidente da República dos Estados Unidos do Brasil. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, abril de 1895, p.9)

 

Foto: Os serviços de saúde pública: esboço histórico e legislação – 1808-1907. Diretoria Geral de Saúde Pública, Rio de Janeiro : Imprensa Oficial, 1909. Acervo Biblioteca do Instituto Butantan.

Fonte: Memória Saúde